Faz muitos anos que venho trabalhando com educação corporativa, tendo como premissa proporcionar uma experiência de aprendizagem rica para as pessoas e lucrativa para as empresas. Posso dizer que acredito que tenho conseguido. Portanto, isso significa que preciso ficar ainda mais atento às mudanças do mundo.

Por que o papel do educador para uma educação corporativa de sucesso é importante?

O mundo está mudando rápido demais. E, percebam: com este ritmo louco de inovações e mudanças, as nossas interações com o mundo nos moldam. Em troca, moldamos o mundo, em um espiral de mudanças e expectativas. Mesmo em épocas de inteligência artificial, robôs, algoritmos e blockchain, continuamos humanos. Afinal, esse sempre será o nosso diferencial. Consequentemente, diante de todas essas mudanças e estímulos, o educador precisa interagir de uma maneira que facilite a aprendizagem dos aprendentes, pois o seu papel para uma educação corporativa de sucesso é de essencial importância.

Quais as consequências disso?

Buscamos intencional ou inconscientemente melhorar os resultados de nossas experiências. Inclusive de aprendizado. Buscamos maneiras novas, mais rápidas e mais inteligentes para satisfazer os nossos anseios.

Cada vez mais, as áreas de RH e de Educação e Desenvolvimento das empresas precisam ficar atentas e focar no processo de aprendizagem dos seus colaboradores, porque as pessoas andam mais distraídas e mais impacientes do que nunca. As redes sociais e o whatsapp estão aí para ratificar o que digo. Assim sendo, o processo de aprendizagem nas organizações tem de ser estimulante, contemplando múltiplas plataformas e estímulos.

A educação corporativa deve acompanhar as mudanças dos novos tempos. Por exemplo: educadores corporativos essencialmente teóricos e apresentações com slides cheios de bullet points carregados de textos tornam o ensino monótono e a aprendizagem entediante. Esse modelo já está ultrapassado. É necessário que as áreas responsáveis encontrem formas inovadoras para atrair e engajar os seus colaboradores no processo de desenvolvimento. O ambiente de aprendizagem, seja ele no contexto corporativo ou não, devem servir como um espaço instigante de troca de conhecimentos. Tudo deve ser convertido em experiências de aquisição de conhecimento. Logo, precisamos transformar o trabalho do dia a dia em fontes de aprendizado e de instrumentalização do conteúdo trabalhado. Para isso, é imperativo que a abordagem seja centrada nos aprendentes.

Os novos tempos, exigem que a educação corporativa e o processo de aprendizagem sejam inteligentes, utilizando-se de metodologias que ajudem os educadores a capitanearem este processo.

E o que isso quer dizer?

Quer dizer que a educação corporativa precisa causar impactos positivos nas pessoas e gerar resultados melhores e sustentáveis para as organizações.

É possível. Acredite!

Grande abraço. Até a próxima!

Por Albírio Gonçalves*

———-

(*) Albírio Gonçalves é consultor empresarial, educador corporativo, palestrante, mentor, coaching, autor e referência em desenvolvimento de líderes, gestores, times/profissionais de alta performance e equipes de vendas, bem como na profissionalização da gestão e qualificação de sucessores e herdeiros de empresas e grupos empresariais familiares.

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *